Get Adobe Flash player

Posts Tagged ‘Trabalho’

Trabalhar de noite aumenta o risco de câncer de mama.

Manter uma rotina noturna de trabalho pode oferecer sérios riscos de câncer de mama, principalmente em mulheres que trabalharam a noite antes da primeira gestação. O risco de desenvolver a doença é proporcional ao tempo empreendido em trabalhos noturnos e inversamente proporcional à quantidade de filhos gerados pela mulher. A pesquisa foi realizada pelo  Instituto Nacional da Saúde e Pesquisa Médica (INSERM) e publicada na revista científica International Journal of cancer.

O artigo completo pode ser conferido aqui.

VN:F [1.9.8_1114]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

O promissor mercado de trabalho para profissionais em pesquisa clínica

O mercado de trabalho para o profissional em pesquisa clínica no Brasil é bastante promissor e tende a crescer. Esta é uma área cuja mão de obra deve ser extremamente qualificada. Não basta ser um enfermeiro, farmacêutico ou médico. É preciso ter uma qualificação específica focada nos aspectos em que estão envolvidos na condução de uma pesquisa clinica. Hoje o Brasil dispõe de centenas de centros de pesquisa clínica, mas faltam profissionais qualificados.

A pesquisa de farmacologia clínica é um dos principais campos de trabalho para enfermeiros, farmacêuticos, estatísticos, fisioterapeutas, nutricionistas, biomédicos, biólogos e até administradores, atuando em laboratórios no setor privado e público no processo de investigação científica em qualquer área do conhecimento, para todo e qualquer produto destinado ao ser humano.

Os profissionais gabaritados sempre encontrarão um próspero mercado de trabalho em pesquisas clínicas, ou seja: nos centros de pesquisa, organizações representativas de pesquisa ou outras instituições que realizem ensaios clínicos, indústria farmacêutica e de produção de soros e vacinas e também no campo de plantas medicinais.

Outra vertente da saúde em franca modernização e avanço em pesquisas clínicas é o setor alimentício. Na indústria da alimentação desenvolve-se de forma acentuada a fabricação de alimentos funcionais, o que indica a necessidade premente de pesquisa básica e de pesquisa clínica. Esses ensaios clínicos é que irão reiterar ou negar os benefícios à saúde balizados pelas pesquisas básicas. As indústrias alimentícias tendem a investir cada vez mais em pesquisas clínicas, particularmente no que se refere aos ingredientes ativos e sua relação com a saúde.

Cresce também de forma acelerada a indústria de produtos cosméticos e cosmecêuticos, mercado dinâmico e movido a novidades constantes, onde os ensaios clínicos são fundamentais e obrigatórios para o desenvolvimento de novas tecnologias que, por sua vez, levam ao lançamento de produtos cada vez mais inovadores.

A Pesquisa Clínica assume grande relevância na medida em que permite descobrir novas formas de tratamento, produtos inovadores, avanços nos conhecimentos clínico-laboratoriais (ensaios clínico-terapêuticos, de farmacocinética e vacinas) e análises em epidemiologia clínica, gerando novos conhecimentos científicos que garantam a segurança e o bem estar do paciente. Na verdade, mostra a direção da evolução da própria medicina, buscando sempre os interesses da ciência e da comunidade, que é a grande beneficiária desse processo, ao receber alguma novidade da própria ciência.

O ingresso para este mercado, no entanto, exige formação específica que deve ser feita em instituições com comprovada experiência no setor.

* A Dra. Greyce Lousana – Bióloga, Mestre em Neurociências, Especialista em Educação, Autora dos livros Pesquisa Clínica no Brasil e Boas Práticas Clínicas em Centros de Pesquisa – (editora Revinter) e Presidente Executiva da SBPPC – Sociedade Brasileira de Profissionais em Pesquisa Clínica.

VN:F [1.9.8_1114]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
Tags
Cursos